press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2
Desarranjo, 2022
Instalação

“Desarranjo”, parte da história do Hino Nacional Brasileiro e seu contexto atual, apresentando novas perspectivas e reflexões críticas sobre ele.

A primeira versão do Hino foi primeiramente chamada de “Hino 7 de Abril” por causa da renúncia de Dom Pedro I (1798 – 1834), depois recebeu o título de “Marcha Triunfal”. E por fim “Hino Nacional”, versão oficial que temos hoje, produzida com o intuito de comemorar a Independência do Brasil, que ocorreu em 07 de setembro de 1822.

Hoje o hino que em sua história representava um ato de independência e liberdade da nação, hoje se apresenta como uma contradição sobretudo em relação ao momento social e político que o país atravessa. Muitas vezes cantado em manifestações antidemocráticas, vestido de um patriotismo deturpado, ele virou símbolo de uma política com impulsos antidemocráticos e facistas.

 

Para a instalação, foi realizado um conjunto de  desenhos em linhas horizontais ocupando o corredor de entrada do espaço expositivo como uma grande partitura musical, e que recebeu as anotações musicais do hino. Porém, em sua inscrição, as notas musicais foram substituídas por perfurações, buracos cravados através de marteladas nessa grande partitura. A ação estabelece de forma crítica e simbólica uma nova escrita sobre o Hino Nacional a partir da perspectiva que ele se encontra hoje como uma espécie de violência. 

 

Compõe também a obra, um aparelho de toca discos que reproduz o LP “O Grito da Independência”. Produzido em 1972 em Homenagem aos 150 anos da Independência do Brasil pela banda e coral masculino da Polícia Militar de São Paulo. O LP que traz a imagem da pintura “Independência ou Morte” de Pedro Américo, é composto primeiramente com o Hino Nacional e outros de conteúdo militar como: Hino da Proclamação da República, Hino do Soldado, Brasília Capital da Esperança, Hino dos Aviadores (Aeronáutica) e Cisne Branco (Marinha).

“Desarranjo”, propõe uma reflexão crítica sobre o momento atual do país tomando como ponto de partida a história e memória do Hino Nacional Brasileiro em uma esfera simbólica da arte.