1/6

1/1
Natureza-morta com laranjas
escultura, 2019

O trabalho "Natureza-morta com laranjas", toma como eixo um dos importantes gêneros da história da arte, a “natureza-morta”, para uma reflexão crítica e irônica. Na obra, uma revista Cruzeiro de 1963 encontra-se aberta na página de uma propaganda, anunciando a recém chegada fábrica de refrigerantes Crush no Brasil. O texto da propaganda apresenta um ideal de progresso e modernização com a chegada da fábrica, espírito daquele momento no país, ao lado de uma imagem composta por duas garrafas e laranjas remetendo a silhueta do Congresso Nacional, em um jogo semiótico. Na obra, uma composição com garrafas antigas do refrigerante vazias, e laranjas em decomposição, estão posicionadas à frente da revista, apontando um certo fracasso, sobretudo em relação a uma utopia moderna.