1/8
MUSEO 1985

Intervenção, 2012

O trabalho MUSEO 1985 é uma intervenção que foi realizada na rua Chihuahua, bairro Colônia Roma, México D.F. Em 1985 aconteceu na Cidade do México um dos maiores terremotos da história da América, causando aproximadamente 10.000 mortes. Toda a cidade foi abalada, mas as áreas mais afetadas foram aquelas situadas sobre o que, em tempos anteriores, foi o lago de Texcoco, na antiga Tenochtitlán. Os sedimentos não consolidados situados sob as construções e a negligência na construção dos edifícios foram os motivos principais que levaram ao colapso de diversas estruturas. Hoje, mesmo depois de anos desse acontecimento, ainda se encontram em alguns pontos da cidade alguns escombros desse terremoto, construções que até hoje não foram removidas. O projeto partiu da localização de um desses escombros no bairro de Roma no qual foi realizada uma ação com um quiosque de um museu fictício desse terremoto. Durante a ação foram comercializados alguns souvenirs como: camisetas, canetas, lápis, canecas, entre outros, todos apetrechos comumente encontrados em lojas de museus. Foram colocados a venda também alguns pedaços desses escombros com a logomarca do museu fictício junto com os souvenirs produzidos. A ideia de assumir todo o espaço daquela “desconstrução” do edifício, como um Museu e criar uma loja de souvenirs de um Museu fictício parte de uma retomada a própria memória e história da cidade, que ironicamente aponta para o fato de que o México é a cidade que tem a maior quantidade de museus do mundo. Atualmente vivem duas senhoras sem teto nesses escombros sendo a fachada deles utilizada para fins publicitários cedidos a uma empresa de propaganda.

 

Residência no SOMA (Cidade do México), Prêmio Bolsa Iberê Camargo 11a Edição. Comissão de Premiação: Verónica Flom, Paulo Gomes e Fernanda Albuquerque [2012]

MUSEO 1985

Intervention, 2012

 

MUSEO 1985 is an intervention performed in Chihuahua street, neighborhood Colonia Roma, Mexico DF. The starting point of the Project is one of the largest earthquakes in American history, which took place in the city in 1985, causing approximately 10,000 deaths. The unconsolidated sediments situated under the buildings and negligence in their construction were the main reasons that led to the collapse of several structures. Today, even after years of this event, it is still in some parts of the city, some rubble of this earthquake, buildings that still have not been removed. The project started from the location of these ruins in the neighborhood Colonia Roma in which an action was carried out by taking this rubbish and creating a fictitious museum of this earthquake. During the action were sold some souvenirs such as t-shirts, pens, pencils, mugs, as well as some fragments of these rubble with the museum’s logo. The idea of taking all the space of that building’s “deconstruction” as a museum and create a souvenir shop of a fictitious museum brings back the own memory and history of the city, which ironically points to the fact that Mexico is the city that has the largest number of museums in the world. 

 

Residence in the SOMA (Mexico City), Iberê Camargo Award 11th Edition. Award committee: Veronica Flom, Paulo Gomes and Fernanda Albuquerque [2012]